terça-feira, 19 de junho de 2012

Manifestações Culturais e Religiosas

          Algumas festas e eventos fazem parte do calendário da municipalidade para comemorar várias datas que tradicionalmente ocorrem, durante todos os anos e há muito tempo, como por exemplo, temos:
Reisado
- Festividades da emancipação política do município caracterizando um desfile muito apreciado por todos os moradores da região;
- Festas juninas, cavalhada, vaquejada, cantoria de violeiros, reisado, guerreiro, pastoril.
- A tradicional Festa da Chita que é realizada sempre no mês de julho, evento este que reúne as famílias paulojacintense e convidados de todo o estado;
- Festas carnavalescas destacam-se “O Paulo Jacinto Folia – A Ressaca do Carnaval”, evento este que está se tornando uma tradição entre os foliões, desde 1998.
          Na área de esporte e lazer a sociedade dispõe do clube cultural Recreativo Paulojacintense, o Estádio de Futebol José Chaves Vasconcelos, uma Quadra Poliesportiva e duas Pistas de Vaquejada. Atualmente no município podemos contar com vários times de futebol amador, com destaque para o Clube Atlético Paulojacintense (C.A. P), que já teve destaque no campeonato promovido pela Associação dos Municípios Alagoanos (A.M. A).
            Com relação aos festejos religiosos, os principais eventos são: A festa da Padroeira, Nossa Senhora das Graças, as festas de São José e Santa Luzia, as romarias á Vila São Francisco. O município dispõe atualmente de 05(cinco) igrejas, sendo que, 04 protestantes Evangélicas e uma pertencente á Religião Católica.

Rainhas do Baile da Chita 

                Rainha 2016: 64ª Beatriz de Melo Barbosa

1ª Valderez B. Barros
2ª Maria Izabel C. Souza
3ª Nelma Vasconcelos Souza
4ª Maria Barros Nascimento
5ª Argentina Veiga
6ª América Veiga
7ª Mércia B. Carvalho
8ª Inêz B. Araújo
9ª Gorete Teixeira
10ª Julia B. Teixeira
11ª Leureny B. Barros
12ª Socorro Rocha
13ª Teresa H. Barbosa
14ª Maria Julia O. Veiga
15ª Lucia Maria T. Barbosa
16ª Ana Maria Barros
17ª Estela H. Barbosa
18ª Gorete G. Barbosa
19ª Magnólia B. Carnaúba
20ª Cristina Gomes
21ª Jael Vilela
22ª Leticia Bezerra
23º Flauzileide De Souza Canuto
24ª Joete Bernadino
25ª Meiriane O. Veiga
26ª Camilia Thomaz T. Cassino
27ª Maria Luciene A. Vasconcelos
28ª Geane C. Barbosa
29ª Maria Magali O . Veiga
30ª Glaúcia Rocha
31ª Sarah Veiga
32ª Elba Teixeira Cassiano 
33ª Juliana R. Oliveira
34ª Andréa L. Vasconcelos
35ª Valkíria B. Rocha
36ª Sylvana B. Oliveira
37ª Edna P. Nascimento
38ª Marcilea Teixeira  
39ª Valkiria T. Carvalho
40ª Janieire M. Soares
41ª Dulce Eulgênia B. Palmeira
42ª Izabelle Moreira
43ª Águida Da Veiga Feitosa
44ª Aline B. Figueiredo
45ª Marcia Cristine M. Costa
46ª Jamylla M. Soares
47ª Clarissa Uchôa Veiga
48ª Milena Dos Santos Barbosa
49ª Priscila Maria Aguiar Ribeiro Barros
50ª Wanessa Barbosa Melo Silva Faustino
50ª Jayane Monteiro Soares
51ª Debora de Almeida Canuto
53ª Ana Flavia de Melo Barbosa
54ª Valéria Braz da Silva
55ª Lyndys Tereza S. Vasconcelos
56ª Márcia Rejane Silva Macêdo
57ª Raíssa Luisa de Melo Barbosa
58ª Flaviana Pereira de Araújo
59ª Ingrid Iris Almeida Cavalcante
60ª Tamires Aida Santos Clemente
61ª Viviane Barbosa
62ª Anne Caroline
63ª Laryssa Amorim
64ª Beatriz de Melo Barbosa


Eternas Rainhas Do Baile da Chita



64ª Beatriz de Melo Barbosa



63ª Laryssa Amorim


62ª Anne Caroline


61ª Viviane Barbosa

60ª Tamires Aida Santos Clemente

59ª Ingrid Iris Cavalcante


58ª Flaviana Araújo


57ª Raíssa Luisa de Melo Barbosa



56ª  Márcia Rejane Silva Macêdo.



55ª  Lyndys Tereza S. Vasconcelos



54ª  Valéria Braz da Silva


52ª  Flávia M. Barbosa.

51ª Debora A. Canuto.


50ª  Jayaane M. Soares da Silva



49ª Wanessa Barbosa Melo Silva
 41ª Águida da Veiga Feitosa
48ª Priscila Ribeiro Barros


40ª Isabelle Moreira

39ª Janieire M. Soares
16ª Rainha do Baile da Chita (ANO 1966) - Lucia Maria Torres Barbosa (in memoria) 

11° Rainha do Baile da chita e Ilustre Paulojacintese, cantando e encantando a todos, no desfile das rainhas, com a música que fazia a chamadinha do baile na dec. de 50, essa sendo uma parodia da musica tema própria.

Jornalistas


Nunes Lima: Maceió AL * 8/1/1931 +04/07/2011
in Memoriam

Alagoano .Jornalista, cartunista. Filho de Roberto Oliveira Lima e Maria José Nunes Lima. Foi, por certo período, ourives. Em Paulo Jacinto, para onde se mudara, lança, juntamente com José Alberto Costa, Xaxado, jornalzinho de quatro páginas datilografadas, que circulava aos domingos. Inicia-se no jornalismo profissional na década de 50, no Jornal de Alagoas, como correspondente do interior, na .Página dos Municípios.. Em 1966, na A Gazeta de Alagoas, para onde fora em 1964, torna-se repórter e chargista. Na A Gazeta de Alagoas manteve a coluna Vida Sem Retoque. Obras: Histórias de Toda a Gente, Maceió, SERGASA, 1980; Livro de Graça, [Maceió] Gráfica Editora A Gazeta de Alagoas, 1984, juntamente com os cartunistas Hércules Mendes e Manoel Viana, apresentação de Imanoel Caldas. Prêmio de melhor cartunista de Alagoas no 12º Salão Internacional de Humor de Piracicaba (SP) 1985. Prêmio Salgema de Jornalismo, nos anos 1991/92/93 e 94. 



Salésia Ramos

Elenilda Oliveira
Fátima Almeida

Marcelo Firmino

José Alberto

Laurentino Veiga
Símbolos do Município
 
Hino de Paulo Jacinto

Criação: 10/01/1971
Letra e Música: Profª Maria Luíza Torres Barbosa

Tu és pequenina
Tu és formosa
Paulo Jacinto
Teus filhos vibrantes cantam
Avante com o Brasil

És modesta entre as cidade
De Alagoas e dos marechais
Paulo Jacinto cresce
Pelo Brasil: Avante

És grandeza exuberante 
Dos teus filhos representantes
Paulo Jacinto cresce
Pelo Brasil: Avante

Bandeira de Paulo Jacinto 

Brasão de Armas de Paulo Jacinto

         O vereador Fabrício Berto Faustino, o Fabrício Faustino apresentou a câmera municipal o projeto de lei que cria o brasão do município, onde os demais vereadores puderam apreciar; e assim foi aprovar pela câmara municipal. Projeto de Lei nº 04/2016 de 20 de junho de 2016 instituindo o brasão de arma do município. APROVADO!
         Com uma ramagem de algodão a esquerda e de inhame a direita representando os produtos agrícolas da qual o município foi um dos maiores produtores do Estado em épocas distintas; ao centro como destaque traz os dos maiores acidentes geográficos do município, a serra grande que é o ponto mais alto da cidade e se destaca por sua grandeza, logo baixo o rio Paraíba este que corta a cidade dividido o município e demarcando limites entre dois bairros (o centro e o Nossa Senhora das Graças) mais abaixo no brasão representado pela estampa de chita simboliza o tecido mais conhecido e famoso da cidade, que deu nome ao baile e emancipou a cidade em 1953.


segunda-feira, 18 de junho de 2012

Escritores


Luiz Henrique de Oliveira Cavalcante filho de Aristeu Teixeira Cavalcantew e de Maria de Oliveira Cavalcante. Estudou no colegio Pio XII do infatil ao Curso Científico. Iniciou sua carreira como professor, ensinando nos colégios: Crispiniano Portal, São José, Sete de Setembro, Imaculada Conceição e Guido de Fontgaland. Em Palmeirta dos Índios dirigiu a extinta Fundação Educacional de Palmeira dos Índios, ensinou nos colégios: Cristo Redentor, Sagrada Família, Monsenhor Macedo e Humberto Mendes, passando lá apenas uns poucos meses, quando voltou a Maceió. A partir do casamento com Maria do Socorro Aguiar de Oliveira Cavalcante foi que teve oportunidade de conhecer, com mais vivência, Paulo Jacinto, seu povo e sua cultura, apaixonando-se pela cidade, da qual é cidadão honorário. Professor aposentado da Universidade Federal de Alagoas, continua suas atividades nessa instituição, da qual é professor voluntário,  desenvolvendo um programa de extensão junto aos municípios alagoanos. Atualmente, além das atividades acadêmicas, é membro do Conselho Estadual de Educação, faz parte do Fórum Permanente de Educação do Campo e do Comitê de Avaliação do Plano Estadual de Educação. Escreveu o livro "Paulo Jacinto seus causos-estórias" que são histórias onde conta vários casos verídicos do municipio.


Diego da Silva Lima (Esquerda) é natural de Campinas/SP, nasceu aos 16 de janeiro de 1994 e até os cinco anos morou em Jundiaí. Com a morte do pai Jorcicley, migrou para Maceió junto com sua mãe Josefa Santos da Silva. Hoje,  reside em Paulo Jacinto/AL e cursa Engenharia Civil na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Formado em Edificações pelo Instituto Federal de Alagoas (IFAL), Diego ocupa o tempo livre em escrever, pesquisar nos mapas e navegar na internet. Foi aos 10 anos que o garoto começou a mostrar seu talento, através da rádio comunitária de Paulo Jacinto, no programa Dose Dupla. Dirigiu, durante três anos, o jornal Alunos em Ação, da escola José Medeiros, em Paulo Jacinto, onde estudava. Nesse período, entrevistou personalidades como prefeitos, secretários, músicos, apresentador de TV e deputados.
Falando pelos cotovelos, o que ele gosta mesmo de fazer é ler. Em suas leituras diárias, que vêm desde os três anos, descobriu que também gosta de escrever. E foi contando casos e causos que já produziu três livros. Este, porém, é o primeiro que sai da gaveta como forma de presentear seus leitores. Autor do Livro "No tempo dos meus avôs" onde reconta histórias que ouviu de seus avôs.


José Alberto Costa, paulojacintense filho de João Cassiano e Grinauria Sales Costa; é jornalista aposentado e escritor. Estudou em Viçosa e posteriormente foi morar em Maceió estudou no Colégio Guido e na Escola Técnica do Comercio de Alagoas. Casou-se com dana Irami, o qual teve três filhos. Foi bancário do PRODUBAN atualmente extinto e também exerceu o cargo de Secretário Estadual de Comunicação do Estado, no governo de Teobaldo Barbosa. Escritor Lançou seu primeiro livro “Doce Lembrança”. Ingressou na Academia Alagoana de Letras, assumindo a cadeira de nº 11.