sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Repasse milionário: Precatório do Fundef, montante é oriundo de ações do fundo movidas entre 1998 e 2007.

A corrida pelos 12 milhões de reais - Qual a verdadeira chapa que quer o bem de Paulo Jacinto? Onde haverá crise em 2017? Tudo depende do seu voto!  
   
         Uma grande expectativa está sendo vivenciada em Alagoas após a liberação de valores pelo Governo Federal para os municípios que receberão os precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), que foi reformulado e atualmente é o FUNDEB, Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação.
         O montante é oriundo de ações movidas pelos municípios contra a União, por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), durante o período de 1998 a 2007.
         Paulo Jacinto receberá aproximadamente 12 milhões de precatórios do "FUNDEF", logicamente que esse montante terá um grande impacto na economia da nossa cidade, minimizando as injustiças que foram cometidas pelo Governo Federal ao longo desses anos com os professores e o pessoal de apoio da EDUCAÇÃO.
         Para a AMA, Associação que defende o direito e interesses dos Municípios e prefeitos alagoanos, o dinheiro desses precatórios deve compor a Receita Corrente Líquida do município. Sendo que desse montante, apenas 25% iriam para a Educação. Ainda consta nas orientações da AMA aos prefeitos, um percentual de 15% para a Saúde. A AMA - Associação do Municípios Alagoanos publicou em seu site outras maneiras em que este dinheiro pode ser gasto. Já estão arrumando maneiras de tirar da educação dando pleno poder ao gestor pra escolher onde gastar, ou seja arrumando aquelas brechas pra pegar o recurso… misericórdia! Oh Brasil sem lei.
         Por outro lado o Ministério Público de Contas – (MPC) entende que os recursos devem ser aplicados apenas na Educação, e quer a anulação de contratos milionários que as Prefeituras têm com escritórios de advocacia. Esses escritórios estariam cobrando entre 15 e 20%, considerado acima do normal pelo MPC, sem falar em alguns casos a ausência de licitação.
         Entramos e tentamos entrar em contato com o MEC, AGU, CGU, SINTEAL, Secretária de Estado da Educação, AMA mas infelizmente não conseguimos obter o documento para que possamos publicar como mais veracidade esta informação.  

         Tudo depende do seu voto. Os serviços de qualidade na cidade. Os próximos quatro anos começam com seu voto, faça sua voz ser ouvida. Vote! 

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Paulojacintense conduz estandarte em desfile cívico de 7 de setembro

     

Neste ultimo dia 07 aconteceu desfile cívico em comemoração ao Dia 7 de setembro em Maceió e o alagoano, paulojacintense Alex Vieira que faz parte do exército brasileiro conduziu o estandarte da corporação. Paulo Jacinto, terra pequenina e formosa, para o Brasil Avante. Parabéns ao Alex! Obrigado por nos representar.

Padre paulojacintense é nomeado vigário geral da Diocese de Palmeira dos índios-AL

          
        No último dia 21 de agosto, em cerimônia na Catedral de sua diocese, o Rev. Pe. Thiago Soares de Matos, chanceler da cúria, procedeu à leitura da provisão com a qual foi nomeado o Rev. Pe. Wendel Assunção Gomes para o encargo de Vigário Geral. Ao apresentar ao povo sua provisão foi saudado com calorosa salva de palmas. Elevamos a Deus nossas súplicas para que este, em comunhão com o bispo, possa desempenhar suas funções tendo sempre diante de si o rosto misericordioso de Jesus, que se revela Justo Juiz e Bom Pastor. Em cada diocese deve ser constituído pelo Bispo diocesano o Vigário geral que, com poder ordinário, de acordo com os cânones seguintes, o ajude no governo de toda a diocese. (Cân. 475)
         Um vigário-geral é o sacerdote constituído pelo bispo diocesano, com poder ordinário, de acordo com o Código de Direito Canônico. O Vigário Geral atua como assistente direto do bispo, ajudando com o governo da Diocese. Geralmente, há apenas um vigário geral, a menos que uma razão válida (como um grande diocese) requera mais de um. O vigário-geral é, ipso facto, o coordenador da cúria diocesana e tem, durante o tempo que exercer este cargo, o direito ao uso do título de monsenhor.


Padre Antônio Ionas poma posse como Pároco de Paulo Jacinto-AL e Mar Vermelho-AL

Por Luiz Júnio F. de Couto



No vigésimo dia do mês de Agosto, mês que a Igreja do Brasil dedica às vocações, no dia em que se celebra a memória litúrgica de São Bernardo de Claraval, abade e doutor da Igreja, a diocese de Palmeira dos Índios celebrou mais uma etapa na vida vocacional de seu mais novo sacerdote, padre Antônio Ionas Bernardino Ferreira, que tendo sido ordenado na memória litúrgica de santo padroeiro dos sacerdotes, São João Maria Vianney, tomou posse em sua primeira paróquia, esta dedicada à Beatíssima Virgem Maria, em Paulo Jacinto-AL, à qual pertence também a cidade de Mar Vermelho- AL.
Reunida numerosa multidão do povo de Deus, às dezenove horas e trinta minutos, na sé paroquial da Virgem das Graças, começava a solene ação litúrgica por meio da qual seria conferido o título de pároco ao padre Antônio Ionas. Estando presente o senhor bispo diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, o vigário geral desta diocese, Mons. Hélio Pereira dos Santos, seu antecessor, padre Wendel Assunção Gomes, aquele que era empossado e demais clérigos, tendo sido iniciada a celebração, ouviu-se a leitura do decreto e profissão de fé.
Tendo recebido o livro dos Evangelhos, iniciando suas atividades como pároco, proclamou-o padre Antônio Ionas. Já em sua homilia o senhor bispo exortou a todos a que se dispusessem a vestir as vestes nupciais, sinal da vida na Graça, para que fossem admitidos no festim dos eleitos, dirigindo-se ao novo pároco lembrou-lhe que é sua obrigação estar, de pronto, vestido com tais vestes e, muito mais, buscar convidar mais e mais criaturas de Deus a tão sublime banquete, oferecendo-lhes sempre, por seu testemunho de vida, exemplo de caridade e frutificante atividade pastoral, a possibilidade de trajar as sacras vestes.
Tendo entregue ao novo pároco as chaves do templo, do sacrário, e apresentado o batistério e o confessionário, sinais de suas atribuições como cura d’almas, Sua Excelência convidou todos à oração. Na prece universal rogou-se por todos os povos do mundo para que respondam positivamente ao convite do Senhor e por toda a igreja. A missa prosseguiu como de costume, terminada a oração pós comunhão, padre Wendel Assunção dirigiu, em breves palavras, seus sentimentos de acolhida ao novo pároco, que agora se torna também seu pastor, já que ele é filho de Paulo Jacinto, sua satisfação por seus anos de ministério junto a um povo tão religioso, como o daquelas terras da Virgem Maria, e sua profunda gratidão a Deus por todas as graças derramadas em sua vida. Padre Antônio, por sua vez, tomando emprestadas as palavras dos sucessores de Pedro, lembrou de sua condição de mero servo do Senhor, abrigado em Sua Misericórdia, recordou que toda a obra de Deus é perfeita não pelos instrumentos que Ele elege, mas porque Ele mesmo a executa, recomendando, assim, sua vida, ministério e pastoreio as orações do povo que a ele foi confiado.

Rogamos a Senhora Mãe de Deus, auxílio infalível aos fiéis cristãos, que, conforme a Divina Providência, nunca falte ao reverendíssimo padre Antônio e a nenhum outro sacerdote católico, seu amparo e proteção e que o povo, tão devoto, colocado sob sua proteção, tenha a lhes conduzir dignos ministros, zelosos pastores totalmente conformados ao amabilíssimo coração de seu Divino Filho.






Padre Wendel Assunção toma posse como pároco da Catedral Diocesana De Palmeira Dos Índios-AL

Por Aderval Rodrigues Ferreira



No dia 24 de agosto de 2015, às 19:30, festa litúrgica de São Bartolomeu, Apóstolo, na Igreja Catedral de Palmeira dos Índios- AL, Sua Excelência Reverendíssima, Dom Dulcênio Fontes de Matos, Bispo Diocesano, conferiu a posse canônica ao Reverendíssimo Padre Wendel Assunção, para o ofício de Pároco.
No ensejo estavam presentes vários sacerdotes da Diocese de Palmeira dos Índios, inúmeros fiéis advindos de Paulo Jacinto e Mar Vermelho, da paróquia Nossa Senhora das Graças, onde Pe. Wendel exerceu o paroquiato por nove anos, fiéis das demais paróquias da cidade de Palmeira dos Índios e grande parte dos paroquianos da Paróquia da catedral, juntamente com os seminaristas, religiosos e autoridades civis, para recepcionarem o novo pároco.
          A santa missa começou como de costume. Após a saudação, o Vigário Geral da Diocese, Pe. Hélio Pereira, leu a provisão canônica na presença de todos. Em seguida, o Sr. Bispo entregou o documento ao Pe. Wendel, que por sua vez fez sua profissão de fé na presença do Bispo.
          Na sua homilia, Dom Dulcênio ressaltou alguns elementos sobre a figura do padre. Segundo o Bispo: “a missão do sacerdote é ser outro Cristo na terra. Para isso, Deus envia sacerdotes, apóstolos que levem a fé aos irmãos, e, com a fé, a graça divina. Como é belo ser sacerdote, ser apóstolo, a fim de proporcionar aos irmãos a luz que ilumina o caminho do céu, para dar Cristo, sendo outro Cristo.”
         Terminada a homilia, Pe. Wendel fez a renovação de suas promessas sacerdotais. Por sua vez, Dom Dulcênio entregou ao novo Pároco as chaves da igreja, as chaves do Sacrário, a pia batismal e o confessionário.  Depois disso, o referido sacerdote, fez seu juramento de fidelidade diante de seu bispo. A Celebração Eucarística prosseguiu como de costume.
         Ao fim de tudo, um ex-paroquiano de Pe. Wendel tomou a palavra e lhe fez um agradecimento, proclamando uma poesia. Em seguida, um paroquiano da Catedral, representando todo o povo dirigiu palavras de boas vindas ao novo pároco. Pe. Thiago Henrique também acolheu o novo pároco, dizendo que tinha certeza de que o povo estaria em boas mãos. Por fim, Pe. Wendel agradeceu a acolhida do seu novo rebanho e pôs-se à disposição de todos como servo e pastor.